terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O que será que os príncipes vão achar disto de serem as "estrelas" do blog da mamã?


Ultimamente tenho pensado no que os príncipes vão achar quando crescerem e perceberem que são os protagonistas do blog da mamã e que as suas histórias, gracinhas e peripécias fazem parte do dia a dia de mais do que apenas a família ou amigos mais próximos... 

Apesar de nesta fase ainda não saberem sequer o que é um blog, quanto mais o que isso pode influenciar ou não a sua vida, acredito que em breve a Leonor vai começar a fazer perguntas e a ter noção de que há coisas que me diz ou que faz em casa e que outras pessoas acabam por saber, mesmo sem terem estado por lá... Confesso que isso até a mim me faz alguma confusão. Na verdade só me lembro realmente do alcance que esta partilha tem quando encontro amigos e conhecidos (ou nem uma coisa nem outra) e me perguntam se o Pedro está melhor da otite; se a Leonor já deixou a chucha e se já dorme na cama dela; e até quando me dizem que se fartaram de rir com uma ou outra pergunta que ela fez...

Será que vão gostar desta "exposição" e do conceito do blog? Ou, pelo contrário, vão preferir que a mamã - leia-se eu - não partilhe com as mães e pais das suas amigas as peripécias cá de casa? 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Gostava de voltar a casar, mas desta vez sem ter só um mês para preparar tudo



Adorava voltar a casar. Pela festa, pelo vestido, mas sobretudo por achar que pode ser uma verdadeira celebração do amor e não apenas um momento lamecho-piroso. 

Como quando casei pela primeira vez foi uma cerimónia super simples, confesso que gostava de repetir a experiência, mas desta vez com mais calma e mais tempo de preparação. É que o primeiro era na verdade para ser apenas no civil com padrinhos e pais, mas depois tornou-se numa festa com cerca de 30 pessoas com direito a vestido de noiva e tudo organizado num mês...  

E lembrei-me disto porquê? Porque estive a ver a primeira coleção de noivas do Slash Creative Hair Studio com uma abordagem diferente dos looks clássicos de noivas. 

Adoro o terceiro penteado, mas em relação a vestidos tenho uma certa perdição pelo primeiro, assim meio 'out of the box'. E vocês?






sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Baby Pedro: 11 meses de ti | 11 meses de mim | 11 meses de nós


Amei-te desde o primeiro instante em que te vi. Ainda enrugado, roxo, cheio de pêlo e de cabelo tão escuros e com uns olhinhos pequenino e brilhantes. 

Amei-te naquele momento e amei-te em todos os que se seguiram. 

Amei-te quando pela primeira te segurei nos meus braços e tu grudado em mim começaste a mamar, fizeste-o como se o tivesses feito desde sempre. 

Amei-te até quando te trocava as fraldas, mas sobretudo quando me mostravas que me tinhas escolhido para ser eu a cuidar de ti, a embalar-te enquanto te cantava uma qualquer música inventada e quando te via sereno a dormir.

Amei-te nas birras, nas noites em que acordavas de 1h30 em 1h30 para mamar e até naquelas em que continuas a fazê-lo de 3h em 3h mesmo com 11 meses... 

Amei-te de forma serena nuns dias, de forma cansada e ansiosa noutros e até de forma apaixonada em outros. 

Amei-te quando viraste o nosso mundo do avesso, mas sobretudo quando te ouvi dizeres pela primeira vez mamã ou quando gatinhaste pela primeira vez na minha direção e te levantaste a sorrir.

Amei-te muito, mas nunca imaginei que fosse possível amar-te como te amo hoje... há coisas que não se explicam, sentem-se e esta é uma delas. 

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

#women'secret | Valentine's Day: this year pink rules


Eu e o rosa sempre tivemos uma relação de quase 'amor-ódio'. 

Da infância em que adorava a cor passando pela adolescência em que a aboli do roupeiro até à idade adulta em que me voltou a conquistar, o rosa tem sido assim meio intermitente na minha vida e esta primavera parece estar de regresso [e ainda bem].

A coleção da women'secret para celebrar o Dia de São Valentim traz tons de rosa para todos os gostos e personalidades, começando num rosa pálido para personalidades que seduzem pela simplicidade e estilo discreto até ao rosa vivo, intenso e ousado para quem não gosta de passar despercebida, muito menos no dia dos namorados.

Rendas, cetins, padrões originais e pequenos apontamentos criativos compõem a linha, tornando-a sem sombra de dúvida numa proposta muito interessante para celebrar esta e outras datas especiais.




 


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

No plans for the weekend?


Este sábado, a moda para mamãs, papás e babies está volta ao Hotel Pestana Cidadela Cascais para a 6.ª edição da Vendinha das Mães (10h-19h). 

O evento organizado pela blogger Ana Lemos inclui artigos e acessórios novos e em segunda mão; mini sessões fotográficas com Pau Storch; muita animação e surpresas; e ainda uma mesa e charriots com peças em segunda mão de mamãs famosas cujas receitas revertem na totalidade para a "Cozinha com Alma".

Toca a apontar na agenda e a levar a família toda para um dia que promete ser bem divertido e cheio de pinta!

Saibam quais as marcas presentes no evento aqui

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Cubanas: spring will be confortable, but elegant


Estive a espreitar a nova coleção SS'17 da Cubanas e encontrei algumas novidades bem giras para as mamãs onde se alia o conforto dos sapatos rasos, mas muito elegantes, às práticas mochilas e malas para as super mamãs, urbanas e ativas. 

Agora resta esperar pelos dias de sol!!!





domingo, 22 de janeiro de 2017

Deu positivo. E agora?


O que fizeram quando descobriram que estavam grávidas?

Deram pulos de felicidade? Ligaram para a família toda? Ou pelo contrário, quase desmaiaram de medo?

Na minha primeira gravidez tive de fazer três testes para conseguir que desse positivo. Ao que parece a concentração da hormona certa ainda não era suficiente para que aparecesse o bendito tracinho rosa e mesmo quando apareceu eu fiquei na dúvida por ser tão pálido. Acabei por dar por mim a ligar a uma ou outra amiga a perguntar se seria mesmo positivo. O maridão ficou tão entusiasmado que começou logo a partilhar a boa nova. 

Já da segunda vez, foi um bocadinho mais fácil saber o resultado. Como não me lembrava quando era suposto aparecer o período, não sabia bem se estava atrasada ou não, mas numa conversa com amigos lá em casa, acabaram por me convencer a fazer o teste. Nem fui eu comprá-lo e tive 'público' à espera do resultado na sala. Quando saí da casa de banho, acabei por dizer um simples: «deu positivo, estou grávida». O marido e a melhor amiga em vez de me felicitarem, exclaram um «não acredito!!!» e foram a correr para a casa de banho para confirmar o teste. Só depois se lembraram que se calhar era boa ideia darem-me os parabéns [ahahah].

Ontem ouvi outras histórias bem divertidas sobre um momento que não deixa ninguém indiferente, ou não fosse algo que muda totalmente a nossa vida e nos deixa meio parvos durante pelo menos meio minuto. Desde quem vê dois traços e exclama: «são duas meninas!!!» até quem liga para o marido e diz: «estou grávida» e do lado de lá ouve-se um nervos «e agora?» ou de quem só acredita mesmo no resultado depois de fazer cinco testes...

E vocês? Qual foi a primeira coisa que fizeram quando descobriram que iam ser papás? 


sábado, 21 de janeiro de 2017

O Xavier veio passar o fim de semana connosco


Há uma semana, a princesa Leonor trouxe o Xavier para casa e em vez de dois príncipes passei a ter três, sendo que o terceiro é um peluche amoroso feito pelas auxiliares do colégio da Leonor e que irá passar um fim de semana em casa de cada um dos colegas dela.

O objetivo era que ele nos acompanhasse nas tarefas e atividades de um fim de semana cá em casa. O único senão é que os Xavier nos visitou numa altura em que o baby Pedro estava ainda a recuperar de uma sequência de 'ites': otite, amigdalite e bronquite. 

Mas tirando esse pormenor, o Xavier divertiu-se muito entre a ida ao parque com a princesa e o papá, o brincar com os manos em casa e até uma ida à festa de um colega do colégio da Leonor. 

No final, tínhamos de relatar a experiência no dossier do Xavier com imagens e texto, numa espécie de 'fim de semanário' [ahahah]. Mas como o papá Rui tem imenso jeito para desenhar, aproveitámos o seu talento e pedimos-lhe para passar a nossa experiência para uma Banda Desenhada bem animada. 

Cá por casa adorámos a experiência e lá na escola também gostaram imenso do resultado. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Para os fãs de Star Wars [e não só]

Conheço umas quantas pessoas que vão fazer fila à porta da women'secret para comprar esta edição especial de underwear e acessórios inspirada na saga Star Wars. E conheço mais umas quantas que a vão querer usar fora de casa, quem sabe até levar os chinelos para o trabalho ou o pijama para o ginásio...

Quem se acusa?


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pedir ajuda não significa ser má mãe ou mau pai


Adorava ser capaz de sozinha ir levar e buscar os miúdos ao colégio, dar um pulo ao supermercado, ser responsável pelos jantares e conseguir ainda enviar almoço no dia seguinte para o papá, arrumar a casa de ponta a ponta, ainda aproveitar a hora de almoço para fazer umas compras de roupa para os babies, colocar roupa a lavar, estender e ainda passar, brincar com os príncipes quando chego a casa e ainda ver um filme com o maridão à noite depois de arrumarmos a cozinha e pormos os miúdos na cama. Uffaaa só de escrever já fiquei cansada, imagine-se fazê-lo diariamente, 7 dias por semana, quatro semanas por mês, doze meses por ano... Digno de super mães e super pais!!!

Mas nem sempre temos de fazer tudo sozinhos, aliás, não somos melhores nem piores pais se carregarmos o barco todo e as tarefas todas. Apesar de não ser fácil admitir que se precisa de ajuda e de muitas vezes pensarmos que os filhos são uma responsabilidade só nossa, a verdade é que se o fizermos de vez enquando isso pode significar alguma sanidade mental e essa sim é essencial para conseguirmos ser bons pais e antes de mais melhores pessoas, mais tranquilas e de bem com a vida. Os nossos príncipes precisam de brincar, de sorrir, de estar connosco, de passear, de fazer amigos e de crescer felizes. E para que isso seja possível não podemos estar assoberbados pela carreira e tarefas domésticas. 

Por isso, se um dia vos apetecer, e se puderem financeiramente, contratem uma empregada para fazer umas horas em vossa casa; peçam aos avós para ficarem com eles um sábado à tarde; aceitem quando a sogra faz bolo ou sopa a mais ou quando os amigos vos perguntarem se precisam de companhia para irem às compras ou ao parque com os miúdos.

Às vezes é tão simples quanto isso: aceitar que os nossos familiares e amigos queiram partilhar connosco o seu tempo. De certeza que no final vão sentir-se mais descansados porque conseguiram finalmente marcar aquela consulta que tanto adiaram; fazer compras sem estar com um olho nos miúdos, outro no telemóvel e ainda a consultarem a lista; ou simplesmente dormir uma sesta sem despertador...

domingo, 15 de janeiro de 2017

Well's: Há campanhas que uma mamã nunca perde


De certeza que já ouviram falar da Campanha Especial Bebé da Well's tanto nos blogues de mamãs como nos meios de comunicação social e até no passa a palavra. E não é por acaso que já ouviram falar desta iniciativa ou não fossem os preços uma maravilha para qualquer mamã ou papá. Sim, porque quando ouvimos a palavra 'descontos' ficamos logo mais motivados, sobretudo quando se trata das despesas com os nossos príncipes que são sempre mais que muitas. 

Sejam as toalhitas que são as nossas melhores amigas, as inevitáveis fraldas que acabam por ser essenciais até pelo menos aos 18/24 meses e até mais tarde, os cremes que evitam as chatas assaduras e aqueles que tornam a sua pele ainda mais hidratada e suave ao toque, passando pelas águas de colónia que até nos apetece ser nós próprias a usar e chegando à alimentação e até aos cuidados para as mamãs, sim porque nós também merecemos mimos. 

Até dia 5 de fevereiro podem aproveitar os tentadores descontos de 30% em Cartão Continente em  marcas como Uriage, Mustela, Barral, Chicco, Klorane, Mitosyl, Halibut e Bioderma, e em produtos para o bebé para a mamã, assim como em tratamentos próprios para as recém-mamãs nos Centros de Estética Well's. E se fizer as compras na loja online ganha ainda um desconto extra de 10% em Cartão Continente sobre todas as promoções desta campanha.

Além destes descontos, há mais duas coisas super giras: dicas úteis da revista Pais & Filhos e a Lista de Nascimento para os familiares e amigos  de futuras mamãs que não sabem bem o que oferecer. Ao aderir a esta iniciativa é possível ganhar um cartão presente Well's de até 20% do valor total da lista. Mimos que sabem sempre bem, não?

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Um post escrito em contra-relógio



Vou aproveitar os cinco minutos que o baby Pedro deve conseguir estar a dormir deitado 'tranquilo' no berço para escrever este post de 'balanço' dos últimos cinco dias... 

Como já sabem o meu príncipe está doente e o que inicialmente começou como uma febre que segundo a Linha de Saúde 24 não devia ser preocupante, mesmo não conseguindo baixar a sua temperatura dos 38ºC no intervalo de 4 em 4 horas que lhe dava o brufen e o ben-u-ron, acabou por se revelar numa bronquite acompanhada de amigdalite e otite... a sorte foi que aqui a mãe de segunda viagem já tem alguma experiência em febres e em bebés e achou estranho que a febre fosse tão alta (39,3ºc) e mais estranho ainda que não baixasse nem com recurso a medicamentos, compressas e banhos mornos, insistiu e acabou por o levar ao médico ao fim de duas noites a 'dormir' no sofá com ele literalmente em cima de mim a arder em febre e a gemer, ora de dores (imagino), ora da temperatura. 

E quando finalmente foi visto pelo médico confirmou-se que nada iria adiantar se não houvesse realmente um antibiótico, um xarope para a tosse e umas gotas para o nariz aliadas a alguns aerossóis.

Mas o pior no meio disto tudo tem sido mesmo o viver 24 horas sobre 24 horas vezes cinco dias com uma mini lapa agarrada a mim para tudo e para nada. Nem beber leite no colo do pai ele bebe e mesmo quando o pai tenta aliviar a mamã e adormecê-lo ou ficar com ele um pouco nos braços, ele teima em gritar e espernear num desespero de «só quero a mamã». 

E depois de quase duas semanas em casa com a mana por causa de uma pneumonia e um intervalo de regresso ao trabalho de uma semana, volto a estar em casa, de baixa de assistência à família e tão cansada que preferia mil vezes estar a trabalhar. 

Há momentos em que olho para ele e só me apetece abraça-lo e enchê-lo de mimos; mas há outros em que só me apetece deixá-lo no berço ou no tapete a brincar porque me parece que é só manha... sinceramente às vezes acho ele aproveita o estar doente para só querer colo 24horas, mesmo só tendo 10 meses... 

E cada vez que o coloco no berço acorda e agarra-se a mim a chorar como se o estivesse a 'maltratar' e a maior parte do tempo que dorme no meu colo está sempre agarrado à minha camisola como se receasse que eu o deixasse no berço à socapa ou o abandonasse... 

E no meio disto tudo ainda tenho de arranjar uma energia extra para ir buscar a princesa ao colégio, enquanto os avós ficam com o baby que não pode sair de casa; e dar-lhe mimos e atenção a ela que precisa tanto ou mais de mim como o irmão... o problema é que eles ainda não sabem muito bem essa teoria do dividir o colo. Ela pede «o colo todo» e ele quando sente que ela lhe está a roubar espaço empurra-a e quando estamos distraídas ainda lhe puxa o cabelo...

Os bebés sofrem... mas a mãe também (e não é pouco!)


P.S: Vou tentar aproveitar que ele ainda não acordou com a tosse e a dificuldade em respirar e vou tentar almoçar que isto de comer com ele grudado em mim não é nada fácil..

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Assunto tabu lá em casa: acabar com a chucha


Nunca pensei muito na questão da chucha, até porque a princesa Leonor nunca achou grande piada à mesma quando era mais pequena e só começou a usá-la regularmente a partir do primeiro ano de vida. O problema é que hoje em dia não vive sem ela. 

Desde que entrou no colégio, aos dois anos e meio, que lhe dizemos que é só para dormir: a sesta na escola e à noite em casa. Mas já lá vai mais de um ano e nem sempre é só para dormir, tantas vezes que a apanho de chucha na boca enquanto vê TV ou quando está simplesmente a brincar. Já perdi a conta às vezes que lhe disse: «Leonor a chucha é só para dormir!»; «Olha que estás a ficar com os dentes tortos...»; ou então «De chucha não te percebo...». E realmente ela no momento tira-a, mas o problema é que passado uns minutos esquece-se e lá vai buscá-la e coloca-a na boca quase sem pensar...

Ainda pensei em dá-la ao Pai Natal, em troca dos presentes, mas depois temi que ela começasse a associar o Natal ao fim dramático e triste da chucha e achei melhor não o fazer.

Agora, resta-me tentar fazê-lo de uma forma 'normal' e natural, mas sinceramente não sei como é isso... sim, as mães bloggers também têm dúvidas. Help!!!

Uma sesta pode ser melhor que um peeling. Não acreditam? Ora leiam...


Quantas vezes não cortam o cabelo ou mudam de cor, arranjam as sobrancelhas e até compram um vestido novo e a vossa cara metade nem pestaneja, nem repara, nem comenta... 

E quantas vezes não lhe acaba por perguntar diretamente se não nota nada diferente? A resposta acaba por ser meio atrapalhada e inventada: «cortaste o cabelo... ou se calhar é a cor...» Pfff, desesperamos, mas lá acabamos por suspirar e pensar: «homens...».

Confesso que nunca me chateio muito com isso, até porque tenho a sorte de ter alguém a meu lado que me diz com regularidade que sou bonita, pelo menos aos seus olhos e isso é que me interessa realmente. 

Mesmo estando acima do peso ideal e de nem sempre usar maquilhagem e de ir tão pouco ao cabeleireiro que até dá dó... a verdade é que ele consegue ver além disso tudo e mostra que gosta de mim mesmo quando não há nada para notar de diferente. 

E prova disso foi o facto de uma destas tardes que tive de 'férias' em casa me ter surpreendido com a pergunta: «Cortaste o cabelo? Fizeste alguma coisa à pele... ou arranjaste as sobrancelhas?... estás diferente». «Para melhor, espero» - pensei. Respondi a tudo que não e acabei por lhe confessar um simples: «Dormi a sesta...».

Pois é, parece que um par de horas de sono descansado e sem miúdos em casa faz milagres, sobretudo depois de 10 meses a dormir mal, muito mal... primeiro com as cólicas e o dar de mamar de 1h30 em 1h30 dia e noite; depois com as constipações e até pneumonias e otites que nos visitaram este Natal; e até com a cama sobrelotada com a princesa que agora tem medo das sombras no quarto dela....

No entanto, uma hora depois da azáfama dos jantares e banhos dos miúdos, ele acabou por olhar para mim e confessou: «acho que a aura especial já se foi...» ahahah Se calhar preciso de mais umas sestas reparadoras...

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Primeira resolução de 2017: ser mais paciente!


Não pretendo ser a melhor mãe do mundo, somente aquela que os meus filhos precisam de ter para serem felizes, mas nem sempre é fácil encontrar as respostas que eles me pedem e muito menos perceber quais as mais adequadas. E há momentos em que a paciência entra em rotura de stock...

Ser mãe exige muito, às vezes tanto. De nós, do nosso ser e da nossa paciência. E mudar é tantas ou mais vezes obrigatório. 

Por mais que os amemos, por mais que lhes queiramos bem e por mais que os queiramos sempre junto a nós, a verdade é que por vezes sentimos que também precisamos de uns minutos só nossos. 

Faz falta respirar fundo, olhar para o nada, fazer balanços e colocar diferentes opções na balança. Faz falta encontrar respostas em nós, sentir-nos realizadas e fazer novas reservas de paciência. Faz falta fazer um detox à alma e olhar para o novo ano de outra perspetiva, de outro ângulo. 

A paciência, ou a falta dela, é provavelmente o meu maior defeito nesta árdua tarefa que é ser mãe. Quantas vezes preciso de respirar fundo e contar até 10? Quantas e quantas vezes não penso em voz baixa e acabo por verbalizar em voz demasiado alta e só quando vejo a princesa meio apreensiva perguntar-me se estou chateada, é que percebo que se calhar usei o volume acima e o tom ao lado... Quantas vezes não gostava de ser como outras mães que não gritam, não dizem asneiras mentalmente e agem sempre com a maior paciência e carinho do mundo... 

Mas infelizmente não posso ser quem não sou, posso ser um bocadinho melhor e um bocadinho mais calma e lutar diariamente para conseguir inspirar e expirar duas ou três vezes antes de tomar decisões bruscas e repentinas. E essa é a minha resolução para este ano: ser mais paciente, porque saber esperar é mesmo uma virtude.