quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Resultado passatempo LEGO


O passatempo LEGO já terminou e há três sortudos no meio de centenas de participantes que vão ganhar o set LEGO Friends 'O Supermercado de Heartlake' e um bilhete de adulto e dois de criança para um dia à escolha no maior evento de Pop Culture do País, a Comic-con. 

Parabéns,

     Rui Rodrigues;

     Célia do Carmo


     e Maria Isabel Magalhães.


Estejam atentos ao e-mail. Vou contactar-vos de seguida para explicar a dinâmica da entrega dos bilhetes. 

E-Fluent5: novidades que mudam a vida de qualquer pai ou mãe


O post de hoje é dedicado às novidades do mundo da puericultura que conheci no evento internacional Le Spot des E-Fluent, em Paris. Mas fiquem descansados que aqui não há lugar para secas ou posts 'encomendados'. Só mesmo coisas giras e úteis como os lápis da Munchkin que dão para pintar a banheira e os azulejos e depois limpar (e voltar a pintar); os divertidos e coloridos vernizes da nailmatic que saem só com água; as chuchas personalizáveis da Luc et Léa; as escovas de dentes ergonómicas da Elgydium para os nossos bebés logo a partir dos três meses; aquecedores da Dyson que filtram o ar; e até uma espreguiçadeira da BabyBjörn em versão XXL para as mamãs e para os papás.



Estes 'lápis' de colorir da Munchkin foram concebidos para tornar a hora do banho ainda mais animada e é sucesso garantido, sobretudo quando eles andam naquela fase em que não acham tanta piada ao banho. Indicados para maiores de três anos, estes lápis dão para pintar banheiras e azulejos e saem simplesmente com um pano húmido. A minha princesa já é 'cliente' da marca e acaba por ser ela própria a querer limpar os desenhos, só espero que com o tempo não perca este gosto pela 'limpeza', mas também pelo desenho. Não há melhor forma de estimular a criatividade dos mais pequenos. 


E para quem tem meninas, aqui está outra perdição. Eu confesso que este foi dos presentes que a Leonor mais adorou. Na noite em que cheguei de Paris ainda tive de andar a fazer manicure e pedicure cor de rosa ahahah. Além de terem cores muito giras, não têm componentes agressivos para as suas sensíveis unhas e saem como os lápis anteriores, simplesmente com água. A nailmatic é uma marca francesa com experiência em vernizes para as mamãs e para as princesas que distribui para todo o mundo, por isso, não há desculpas se não os encontrar na loja da rua. 


Já sei que não é assim tão novidade, mas não deixam de ser giras, coloridas e ainda por cima personalizáveis. A coleção de chuchas da Luc et Léa dos Laboratoires Gilbert são de silicone, previnem as irritações da pele devido à sua curvatura para fora que evita que a saliva se acumule entre a chucha e a pele e ainda têm cores apelativas e podemos escrever nelas quase tudo o que quisermos. 'J'<3 ma Maman' é das minhas preferidas... porque será?



Apesar dos nossos babies não terem dentes logo aos três meses, salvo raras exceções, a verdade é que o hábito de higiene das gengivas e da língua devem começar logo a partir dessa idade de forma a eliminar restos de leite e até prevenir cólicas. E estas escovas da Elgydium para babies são tão giras. As cerdas são super suaves e nada agressivas e as cores são o motivo pelo qual eles próprios ficam com vontade de escovar os dentes sozinhos... vá, pelo menos de morderem a escova toda. Ahahaha o baby Pedro foi a primeira coisa que fez quando lha dei. Além desta gama, é impossível não falar das pastas dentífricas da marca com cores, sabores e cheiros que tornam o momento da escovagem de dentes mais apelativa. A Leonor é fã da 'Bubble'. 


Esta espécie de gadget é perfeita para todos, quer se tenha filhos ou não. Além de aquecer ou arrefecer a sua sala ou quarto e de dar para mudar o foco e a difusão de calor ou frio, este produto da dyson ainda filtra as impurezas do ar, o que é ótimo para os mais pequenos, mas também para quem sofre de alergias ou de outras patologias respiratórias. 


E para terminar este post em grande ou pelo menos em estilo zen/relax, aqui fica uma das invenções mais engraçadas do Spot des E-Fluent, na minha modesta opinião, claro. A espreguiçadeira XXL da BabyBjörn para mamãs e papás. Sim, tive de a experimentar, era difícil não o fazer, sobretudo porque sempre que vimos os nossos príncipes a dormirem ou a brincarem nela pensamos: «deve ser mesmo confortável». E é. Ergonómica, flexível e relaxante. Penso que estes são os três melhores adjetivos para a descrever. Fica só uma 'crítica': acho que o pormenor de poder 'prender' os papás é uma adaptação demasiado literal da coisa, sendo que seria mais interessante ter, por exemplo, uma faixa para prender o bebé. Quantos de nós já não estivemos a dar leite ou a amamentar os nossos príncipes e nos apeteceu adormecer com eles encostados a nós para evitar o bolsar ou simplesmente para estarmos mais tranquilos e sem medo que ele nos caia do colo...

domingo, 4 de dezembro de 2016

Passatempo: 3 kits da LEGO® e bilhetes para a Comic-con


Lançar este passatempo não me podia deixar mais feliz. Além de ser de uma marca que adoro (eu e o resto de Portugal), ainda o faço num momento tão especial como o Natal e com um bónus: três bilhetes para o maior evento de Pop Culture do País, o Comic-con

Pela primeira vez, o Marcas Avant-Garde tem uma parceria com a LEGO® e vai oferecer três kits constituídos pelo set LEGO Friends 'O Supermercado de Heartlake' + 1 bilhete de adulto e 2 de criança para um dia à escolha da Comic-con que se realiza entre 8 e 11 de dezembro na Exponor, em Matosinhos. 

E na visita à Comic-con aproveite para visitar o stand da LEGO que este ano está mais interativo, com imensas atividades e jogos e ainda as suas minifigures preferidas da Marvel e da DC.

Para participar basta partilhar este passatempo numa rede social à escolha, colocar um gosto na página de Facebook do Marcas Avant-Garde e da LEGO e preencher o formulário abaixo até às 13h da próxima quarta-feira, dia 7 de dezembro. Boa sorte!


sábado, 3 de dezembro de 2016

Quando eles se comportam de forma mais infantil que os filhos...


Não digo que sejam todos, mas um número bastante elevado de pais comportam-se tantas, mas tantas vezes pior e de forma mais infantil que os próprios filhos que quase parece uma tendência...

Quantas vezes não ouvimos amigas a desabafarem que têm de tomar conta de duas crianças em vez de uma, ou que o marido joga mais consola que os miúdos lá de casa, ou mesmo que tem atitudes correspondentes a uma idade mental de 10?

Um estudo divulgado nos EUA vem mesmo comprovar esta tendência, ou pelo menos a perceção que as mulheres têm do comportamento dos seus conjugues...

De acordo com um estudo realizado pelo jornal Today junto de sete mil mamãs, os maridos dão até 10 vezes mais trabalho do que os filhos, sendo mesmo a principal causa de stress para 46% destas. E adivinhem qual o tipo de situações que as tiram do sério com mais frequência? Sim, precisamente quando os papás lá de casa agem como crianças... 

A expressão 'grow up' assenta que nem uma luva a este post, não?

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Qual o melhor nome para um post sobre Paris?


E qual a foto preferida? 

E que adjetivo usar?

Sinceramente, pensei muito sobre o assunto e até encontrei respostas (muitas), mas todas me pareciam pouco para uma cidade que é 'demasiado'. 

Sim, 'demasiado' grande e monumental para se visitar em tão poucos dias;

'Demasiado' espetacular para ser possível ilustrá-la numa só imagem;

'Demasiado' especial, sobretudo com as decorações de Natal, para se descrever apenas com um adjetivo...

Por isso, vou fazê-lo de uma forma menos convencional e vou falar-vos de tudo e de nada.

Se recomendo uma visita a Paris? É indiscutível que sim. Mas se o tempo for pouco, como foi o meu caso, não sugiro propriamente um roteiro. O ideal é mesmo deixarem-se levar pela cidade. 


Crédito: Joana Paixão Obras

Torre Eiffel, a Pirâmide do Louvre, o rio Sena, Montmarte e o Moulin Rouge são obrigatórios, mas pode sempre partir desses locais para uma descoberta mais sensorial e intuitiva do que seguindo um trajeto fixo no mapa.

Cada vez gosto mais deste tipo de viagem. Além de ser menos exigente, cria menos expectativas e consequentemente menos frustrações. Telemóvel ou máquina em punho e apenas a cidade debaixo dos pés e o reboliço da vida diante dos olhos.



Não subi à Torre Eiffel, nem entrei no Louvre, mas senti a sua monumentalidade e o peso da sua história; sentei-me no café do bairro, almocei como uma parisiense e comi batatas fritas sem consciência pesada; caminhei ao lado do rio Sena ao anoitecer e senti o vento frio tocar-me no rosto; andei de metro empurrada pela azáfama da cidade e perdi-me como qualquer turista que se preze; passei pelo rio Sena no tradicional batou mouche com direito a jantar de gala e uma preparação digna de princesa; e quando chegou o momento de partir senti que ainda havia tanto para ver, mas de coração tranquilo porque estava na hora de rever os meus príncipes. 



Quando entrei no avião o pensamento foi simples, meio em tom de ordem para mim própria: «Não volto a viajar sem eles...» Por isso, Paris, quero voltar a conhecer-te, mas com umas mãos curiosas e irrequietas no meio das minhas...

P.S.: Merci pour le voyage et pour l'invitation a Parole de Mamans et Selectour AFAT.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

As suas amigas já não conseguem ouvi-la falar sobre bebés, fraldas e gracinhas? Confirme os 10 sinais de 'alarme'


De certeza que quando começou a namorar com o seu mais-que-tudo pensou que não podia deixar de ser a pessoa que era, que não devia mudar muito as rotinas e até que as suas amigas continuariam a ser o centro do seu mundo. O que aconteceu realmente? A verdade é que quase vendeu a alma ao diabo em troca de ser feliz e só se apercebeu quando a história acabou com baba, ranho, uma caixa de gelado e um filme bem lamechas. 

O mesmo aconteceu quando foi mãe, ou não? Sempre sonhou que ia ser uma mãe moderna, só um bocadinho galinha - o suficiente para ser uma característica engraçada -, nunca colocou em hipótese frequentar fóruns e grupos de mães porque isso é coisa de quem vive obcecado com a maternidade e não tem vida própria e sempre achou que mesmo depois daquele ser pequenino nascer haveria um sem número de conversas interessantes a ter que não incluíssem horários de sono, papinhas ou mesmo cocó. 

O problema é que aquilo que prevemos ou mesmo aquilo que sonhamos acaba por ser, na maioria das vezes, o oposto do que realmente acontece e nem sequer está ao nosso alcance mudar no imediato, mas sim quando temos a capacidade de nos afastar do papel de mãe, namorada ou amiga em que nos tornámos e avaliar tudo com calma e distanciamento. 

Aqui ficam 10 sinais de 'perigo' a que devemos estar atentas para evitarmos ser aquelas mães chatas e sem assunto (que não seja bebés) que tanto criticámos no passado... (também podem encontrar este artigo nos sites dos shoppings Sonae Sierra)

1. Não consegue deixar o seu filho com ninguém, nem em lado nenhum que não seja debaixo da sua asa protetora e nem a sua mãe é capaz de cumprir a extensa lista de exigências que traçou mentalmente...

2. Deixou de ter vontade de fazer outras coisas que não incluam alimentar, mimar ou passear o bebé? Parece que nada a satisfaz realmente e que ficou desinteressada do mundo porque o mundo (pelo menos o seu) passou a ser aquele ser pequenino que só chora, come, dorme e faz chichi e cocó, mas que é mesmo maravilhoso?

3. Esqueceu-se do que falava ou do que fazia antes dele nascer e aqui inclui-se as idas ao cinema e à praia com as amigas, o cabeleireiro, a depilação e as unhas, o dar um pulo ao spa e ir beber um cocktail no bar da rua ou até o saber que as compras podem ir além da secção de bebé nas lojas e das prateleiras das fraldas, toalhitas e chuchas no supermercado;

4. O resto do mundo que não tem filhos não percebe o mágico que é ser mãe e você passa todos os minutos do dia/noite a tentar explicar-lhes as maravilhas da maternidade até à exaustão. Sim, porque isto de ser mãe exige trabalho e dedicação na demanda de ser 'perfeita';

5. E por falar de perfeição, não há outro patamar sem ser esse o que almeja alcançar em tudo o que faz. Não imagina que o seu bebé não seja o primeiro da rua a ter o primeiro dentinho; o primeiro da fila do supermercado a gatinhar; e até o primeiro da sala de espera do médico a dizer a primeira palavra sagrada: «mamã»;

6. Rotula de fúteis todos aqueles que gastam dinheiro só em viagens, roupa e maquilhagem; aqueles que investem em ginásios e cursos de enriquecimento curricular; e até os workaholic. Sim, porque isto do tempo passa a ser sagrado e essencial, mas não pode ser 'desperdiçado' com coisas que não sejam a manutenção da espécie...

7. Apesar de negar que consulta blogues sobre maternidade e garantir que não precisa de falar com outras mamãs sobre o tema, a verdade é que já tem nos favoritos todos os grupos de mães, grávidas e crianças do Facebook, comenta todos os 355 blogues que segue com o nome Ana Teresa ou Joana Silva e até já marcou ir passear o bebé com outra mamã que nem de propósito teve uma menina no mesmo dia em que você foi mãe;

8. Adia o regresso ao trabalho e começa a deixar de perceber sequer porque trabalhava antes de engravidar. Isso da carreira quase parece uma utopia ridícula de mulheres com a mania que são cosmopolitas ou independentes porque na verdade o que mais queria mesmo era seguir o exemplo da sua mãe ou avó e ficar por casa a tomar conta da prole;

9. Cólicas, leites de adaptação, introdução aos alimentos sólidos e teorias de A a Z sobre a consistência do cocó e a melhor forma de limpar o nariz são os únicos assuntos nos chats do WhatsApp, quer estejam amigas que já são mães ou não. E se há muitas queixas e reclamações fica indignada com a sua falta de sensibilidade a esta fase tão importante da sua vida;

10. Se abanou a cabeça de forma negativa a todos os pontos anteriores porque está a ler este texto em frente a uma amiga que lho recomendou, mas no fundo sente que até há coisas que são verdade, mas não quer nada admiti-lo, saiba que o ideal é mesmo sair da carapaça que criou e ver que há um mundo além bebé e além maternidade. Realmente não há nada melhor do que ser mãe, mas não precisa de o esfregar na cara de toda a gente. Há pessoas que não querem saber e mais do que isso que não têm de saber. 

Conselhos: Aproveite e deixe o bebé na sua mãe (ou sogra), vá ao cinema ou ao ginásio, beba um copo com as suas amigas, mesmo que tenha de ser um cocktail sem álcool porque está a amamentar, faça umas compras para si, mesmo que ainda não tenha voltado à sua esbelta forma física, e depois diga se não se sente mais normal, tranquila e menos obcecada com 'O' bebé. 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Um dia muito especial em família e já com o espírito de Natal


Há três anos que não perdemos uma festa de Natal da Lego. Primeiro só com a princesa, agora com o baby Pedro e é impossível não adorar. 

O espírito, a boa disposição, os legos e as tentações natalícias em forma de casinhas de gengibre e de enfeites em chocolate, mas sobretudo os sorrisos dos meus príncipes. Não há nada que conquiste mais uma mãe do que uma gargalhada de felicidade dos filhos e este fim de semana tivemos muitas gargalhadas e muitos sorrisos. 

Obrigada Lego por termos voltado a ter a sensação de regressar à casa de família para celebrar o Natal!